Scipio Petting Zoo, uma parada popular para turistas no Sul de Utah

25
- Advertisement -

Translated by Karol Fiahol

Uma atração improvável está localizada no posto de gasolina Flying J, em Scipio, Utah, na saída 188, para motoristas que viajam na I-15 – um zoológico de cafuné em animais.

O Scipio Petting Zoo não só oferece um ótimo momento para os funcionários que cuidam dos animais diariamente, mas também para os visitantes de todo o mundo.

A estudante da BYU, Ashley Pasley, foi apresentada ao zoológico de Scipio Petting enquanto fazia uma viagem com alguns amigos a Saint George para visitar seus pais. Quando seus amigos viram o zoológico à distância eles decidiram parar e fazer uma parada da longa viagem.

Pasley disse que estava dormindo quando estacionaram no posto de gasolina e não esperava ver o que tinha lá quando acordou.

“Eu vejo todos esses animais do lado de fora de um posto de gasolina que foi esquisito para mim”, disse Pasley.

Apesar da inesperada natureza do local, ela disse que foi algo engraçado para ver em um passeio tão monótono. “Foi tão inesperado para mim que foi muito legal”, ela disse.

Pasley disse que queria ter conhecido o zoológico há mais tempo para poder ver mais animais durante o dia em vez de apenas alguns à noite na sua viagem para o Sul.

“Quem não ama animais?”, ela perguntou. “É uma coisa que eu quero contar para as pessoas”, ela disse.

O proprietário e fundador do zoológico Scipio Petting, Daniel Davis, abriu o zoológico quando notou os acres desabitados que cercavam o posto de gasolina que ele administrava. Ele descreveu o processo como mais complexo do que simplesmente construir uma cerca e colocar alguns animais dentro.

Davis e sua equipe seguiram os regulamentos do Departamento de Agricultura dos EUA para garantir que estavam executando seus planos para o zoológico com segurança e eficácia. Após vários meses, eles foram aprovados como zoológico reconhecido pelo Departamento de Agricultura dos EUA.

DeRay Quarnberg, que abriu o zoológico com Davis, disse que o Departamento de Agricultura dos EUA foi útil enquanto o zoológico estava se reerguendo.

“(O USDA) tinha ótimas ideias que nos ajudaram a incorporar, não apenas para facilitar o uso, mas também para que fosse seguro para os animais e para as pessoas”, disse Quarnberg.

Davis disse que muitos de seus primeiros animais vieram de doadores que simplesmente queriam se livrar de animais que não queriam mais. Depois, animais foram doados o suficiente para Davis e sua equipe criarem e procriarem.

“Quando começamos não sabíamos o que estávamos fazendo e  por isso muitas pessoas nos deram os animais”, disse Davis.

Ele disse que ele e sua equipe alimentavam bodes com mamadeira seis vezes ao dia até que serem grandes o bastante para serem deixados do lado de fora. Uma vez que os bodes estejam nos canis do lado de fora, as crianças que visitavam a cidade tivessem a chance de alimentá-los, dando às crianças e a seus pais algo emocionante para fazer antes da longa viagem para o próximo destino.

Davis disse que uma das partes mais gratificantes do zoológico é ver as reações das crianças.

“Não é nada além de positivo”, disse Davis.

Embora o zoológico só esteja aberto desde 2010, Davis espera que ele esteja aberto por muitos anos e que muitos outros possam aproveitar.

Ele disse sentiu saudade do zoológico quando ele e a esposa deixam a cidade no fim de semana ou saem de férias.

“Descendo a serra e vejo o zoológico  lá”, disse Davis. “Eu sorrio de alegria.”

Quarnberg, um morador de Scipio, conheceu Davis quando ele comprou o Dairy Queen ligado ao posto de gasolina que Davis estava administrando na época. Quarnberg e Davis tornaram-se amigos próximos e juntos tiveram algumas ideais de como manter o zoológico em funcionamento.

Apesar da localização isolada, Quarnberg disse que ama as pessoas que vêm do mundo todo  para ver os coelhos, filhotes de cabras, cavalinhos e outros animais do zoológico.

“É fofo e divertido e recebemos muito apoio de todas as pessoas”, ele disse.

Quarnberg disse que não planeja se aposentar tão cedo e gosta de administrar Dairy Queen e receber visitantes do mundo todo que vêm para dar uma descansada e para brincar com os animais.

Apesar da pequena população da cidade, ter menos de 350 pessoas, o zoológico tem sido uma grande oportunidade para ajudar alguns jovens a aprender a trabalhar, crescer e se preparar para seus futuros empreendimentos.

“Todo mundo tem que trabalhar; todo mundo tem que fazer alguma coisa. Mas se você faz algo que ama, é como se você nem trabalhasse”, disse Quarnberg.

Print Friendly, PDF & Email