Professor de religião junta arte original a ensino para melhorar o aprendizado

43

Tradução e voz João Teles Grilo

Professor de religião da BYU, Anthony Sweat, mostra o início do seu projecto onde criará 30 peças de arte representando as cenas da Restauração de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. (Claire Gentry)

Mais de 1,000 estudantes entram na sala da BYU do professor Anthony Sweat cada semestre. Aí eles aprendem sobre a Restauração da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Sweat usa os seus talentos artisticos juntamente com as suas habilidades de ensino para proporcionar aos seus alunos imagens de eventos significativos nas suas aulas de Pilares da Restauração e Doutrina e Convénios.

Sweat nasceu e cresceu no oeste do vale de Salt Lake, frequentou a Universidade de Utah onde se licenciou em pintura e desenho.

“Eu sempre fui crativo. Eu sempre gostei de fazer coisas. Eu sempre desenhei e fui muito visual,” disse Sweat.

Ele disse que algumas das suas memórias mais antigas são de estar sentado durante a reunião sacramental e desenhar as pessoas que estavam a falar e que isso o ajudou a prestar atenção e aprender o evangelho.

Sweat continuou a pintar durante o ensino secundário e foi nomeado para o prémio Visual Artes Sterling Scholar que é dado a alunos do último ano que têm um desempenho de excelência em aprendizado, liderança e cidadania em uma área de estudos especifica.

Quando teve que decidir o que estudar na universidade, Sweat disse que escolheu seguir a sua paixão por arte.

“Eu simplesmente pensei que queria estudar algo que fosse uma paixão para mim, que eu amasse e que eu quisesse melhorar,” disse Sweat. “Eu não estava muito preocupado em fazer carreira com isso.”

O professor de religião da BYU, Anthony Sweat, disse que esta pintura está em harmonia com os muitos relatos da Primeira Visão incluindo pormenores como o fogo, a representação de Satanás e os muitos anjos. (Claire Gentry)

Enquanto frequentava a Universidade de Utah, Sweat deu um discurso na reunião sacramental. Depois de falar, foi abordado por um homem que lhe perguntou quais eram os seus planos de carreira depois de se licenciar. O homem então perguntou-lhe se ele alguma tinha considerado ensinar o Sistema Educacional da Igreja.

O homem, que era um admnistrador de alunos de seminário, disse a Sweat que tinha tido a impressão de falar com ele e encorajá-lo a pensar nessa idea.

“Eu simplesmente senti que era o Senhor a estender a mão dizendo, ‘O teu chamado para a vida é o de ensinar,’”disse Sweat.

Depois de licenciar-se pela Universidade de Utah, Sweat recebeu uma oferta para ensinar a tempo-inteiro seminário e instituto, e ensinou por 13 anos. Ao mesmo tempo, frequentava a Universidade de Utah onde completou o seu mestrado e doutorado em teorias de educação aplicados a educação religiosa.

Enquanto frequentou a escola, Sweat continuou a pintar e até começou a escrever livros e artigos. Ele realçou as semelhanças entre os dois e disse que ambos requerem o mesmo processo de criatividade.

“Eu escrevi livros que eram baseados somente em coisas que observei e ensinei. Na escrita, eu era capaz de não somente cruzar a minha criatividade e aspectos visuais mas também os meus aspectos da educação religiosa,” disse Sweat.

Sweat participou da escrita do livro “Why?” (“Porquê” em português) com o professor da BYU John Hilton III em 2009. O livro dá respostas a muitas perguntas feitas por jovens Santos dos Últimos Dias. Sweat usou o seu lado criativo para incluir muito visuais e gráficos no livro.

“Outro dos verdadeiros talentos do irmão Sweat é a habilidade de juntar várias áreas de conhecimento,” disse Hilton. “Ele é capaz de juntar os conhecimentos da história da igreja com o seu trabalho de arte, que tem um entendimento profundo e grande talento.”

Sweat já escreveu mais de 10 livros acerca dos templos, Joseph Smith e Jesus Cristo.

Uma das obras de arte do professor de religião da BYU, Anthony Sweat, é a representação de Joseph Smith usando o chapeu para ver o Urim e Tumim enquanto traduzia o Livro de Mormon. (Claire Gentry)

Depois de oferecer-se para providenciar as imagens para um livro de um colega, Sweat disse que começou a reparar que faltavam visuais corretos sobre a história da igreja e da tradução do Livro de Mormon. Isto inspirou-o a começar o projecto onde poderia unir os seus papéis de educador religioso e artista.

“Existem muitos eventos importantes na nossa história da igreja que nunca foram pintadas e visualmente representadas e nós podemos aprender mais visualmente. Assim como aprender ao lermos, também aprendemos vendo,” disse Sweat.

O projecto inclui criar 30 gravuras da Restauração que Sweat diz achar importante. Algumas representam cenas tal como Joseph Smith a olhar para as pedras dentro de um chapéu e outras mostram Joseph e Emma Smith a discutirem a revelação do casamento plural.

“O que eu espero que estas imagens possam fazer é serem uma parte mais directa e visual da nossa história,” disse Sweat. “Eu espero que aumentem a perspectiva visual da história da igreja.”

Sweat disse que já assistiu em primeira mão á diferença que faz nos seus alunos e no seu proceso de aprendizagem ao incorporar arte no seu ensino. Os visuais ajudam as pessoas a aprender e a tornarem-se familiares com ideias e tópicos.

O professor de religião, Anthony Sweat, pinta cenas que não são previamente representadas, tal como a ordenança ao sacerdócio de homens negros durante o tempo de Joseph Smith. (Claire Gentry)

“É uma maneira de desafiar as tuas percepções do que é verdade e o que é simbólico,”disse o professor assistente de Sweat e sénior da BYU, Portia Kunz. “Por norma não pensamos sobre a arte dessa maneira, mas deveriamos activamente envolvermo-nos com arte, o que é algo que nunca realmente pensei até conhecer o professor Sweat.”

Sweat diz que espera ajudar os alunos a ganharem competências que os ajudem a tomar decisões mais informadas sobre a história e doutrina da igreja.

“Francamente, depois dos alunos tirarem estas classes vão talvez esquecer-se dos factos, datas e história,” disse Sweat. “Mas irão lembrar-se de algumas das perspectivas, competências e abordagens.”

Print Friendly, PDF & Email