A plataforma ‘Handshake’ provê nova vantagem para recrutamento

64

Tradução & áudio: Karol Fialho (Texto original: Kendra Wise)

Legenda da foto: A diretora de Serviços de Emprego da Universidade, Jodi Chowen esteve envolvida ativamente na mudança da plataforma da universidade de BYU Bridge para Handshake. Ela convoca a todos os alunos que participem e aproveitem as oportunidades disponíveis. (Lexie Flickinger)

O aperto de mão é uma representação universal de entendimento ou acordo. Para uma graduação universitária, os melhores apertos de mão são aqueles que terminam com ofertas de emprego de tempo integral ou oportunidades para progressos na profissão.

Handshake, a nova plataforma de recrutamento, é uma ferramenta de networking adotada pela BYU para ajudar os estudantes a encontrarem oportunidades de mudança de vida.

Handshake conecta alunos e ex-alunos da BYU com empregadores para prover oportunidades de emprego e estágios. Handshake, atualmente, tem mais de 3.650 vagas de emprego catalogadas para alunos da BYU, de acordo com o site deles.

A diretora de Serviços de Emprego da Universidade, Jodi Chowen esteve envolvida ativamente na mudança da plataforma da universidade de BYU Bridge para Handshake e disse que essa nova plataforma de recrutamento oferecerá uma vantagem para todos os alunos no campus.

Bridge, a antiga plataforma de recrutamento da BYU, tinha várias falhas, disse Chowen. Recrutadores frequentemente tinha dificuldade para postar as vagas pelo site, o que causou alguns empregadores a ignorarem a plataforma. Isso levou os estudantes a perderem oportunidades que poderiam ter tido.

Com Handshake, o processo para os empregadores para fazer login e enviar listas de vagas para BYU é mais fácil e mais eficiente, de acordo com Chowen.

“Toda a filosofia e decisão em usar o Handshake foi para beneficiar os alunos. O sistema foi construído para ser muito amigável e limpo”, disse ela.

Handshake foi feito por aluno, para os alunos. Os criadores eram três estudantes de pós-gradução em engenharia (Garrett Lord, Ben Christensen e Scott Ringwelski) da Universidade Tecnológica de Michigan. Graças a localização rural, a universidade baseada em Houghton raramente recebia visitantes de grandes empresas.

Lord, Christensen e Ringwelski decidiram criar uma plataforma de recrutamento inclusiva para ajudar os alunos a expandiram o network deles e democratizar as oportunidades, de acordo com o site do Handshake.

Handshake realmente foi criado para promover mais empregos para os alunos e, por causa da maneira que o sistema está configurado, estamos conseguindo mais empregos do que antes”, disse Chowen.  “Os estudantes têm mais oportunidades agora do que eles tinham com a BYU Bridge.”

Empregadores também podem fazer download de livros de currículos completos com os currículos de cada concorrente e pesquisar por meio de filtros específicos para encontrar funcionários em potencial. Chowen disse  que os alunos devem criar o perfil Handshake deles para se tornarem mais visíveis.

“É importante os alunos entenderem que se eles realmente têm a intenção de encontrarem um emprego ou estágio,  você precisa criar seu perfil e se envolver porque não somente terá chance de pesquisar e conectar com empregadores, mas empregadores pesquisarão e se conectarão com você,” disse Chowen.

O decano assistente da Faculdade Marriot, Mike Roberts, também disse que “cada aluno até os calouros”   devem começar a se familiarizar com o Handshake. Ele disse que o serviço de recrutamento pode ajudar os alunos a encontrar maiores oportunidades no futuro.

“Mesmo se os currículos deles não estiverem tão desenvolvidos quanto o de outros alunos, se familiarizar com a plataforma e se informar quando são as feiras de emprego e outros eventos, é decisivo para o sucesso de cada aluno durante a atividade deles na BYU  e depois da graduação”, disse Roberts.

O Serviço de Empregos da BYU colocou cabines e cadeiras amarelas em forma de mão em todo o campus para promover o Handshake.

Melinda Maughan, diretora da Operações de Recrutamento na Faculdade Marriot de Adminstração da BYU, tem trabalhado diretamente com Handshake e disse que uma pequena porcentagem dos alunos começou a usar o serviço.

Maughan disse que 13% dos alunos da BYU fizeram login no Handshake, mas somente metade dessa porcentagem tem um perfil criado. Ela disse que esses números são extremamente alarmantes porque “60% do recrutamento ocorre nas primeiras seis semanas de aula.”

Maughan disse que fazer log in, criar um perfil e procurar por empregos podem ajudar o Handshake a ajustar aos interesses, pontos fortes e habilidades dos alunos.

Handshake fica mais fácil quanto mais você o usa”, disse Maughan. “Assim como a Amazon faz recomendações baseadas em suas compras, Handshake faz recomendações baseadas na informação que você posta no seu perfil e pesquisas que você faz enquanto está logado.

Print Friendly, PDF & Email