Kalani Sitake partilha conversa de infância que mudou a sua vida

401

Tradução e revisão João Teles Grilo e Ruth Baptista

Voz João Teles Grilo

O treinador de futebol americano da BYU, Kalani Sitake, participou no programa de rádio desportivo da CBS de Jim Rome na quarta-feira, dia 4 de Abril, onde o retirado “fullback” dos Cougar explicou a conversa que teve enquanto criança que mudou a sua vida e o catapultou para o caminho que o tornou o treinador principal da BYU.

Quando Sitake tinha nove anos de idade, um grupo de jogadores de futebol americano da BYU visitou sua escola primária e jogou com as crianças no recreio.

“(Um jogador) viu que eu estava de fora do campo, que eu não estava a aproveitar o recreio,” disse Sitake a Rome. “Ele viu que eu estava ferido e veio até mim e tivemos uma conversa de um minuto, que não interessava tanto para ele, mas que mudou a minha vida.”

O jogador disse-lhe, “Tudo ficará bem, e Deus ama-te.”

Os pais de Sitake divorciaram-se quando ele tinha seis anos, fazendo com que tivesse muitas dificuldades durante esses três anos até a essa conversa.

“Eu ouvi ‘tudo ficará bem’ provavelmente um milhão de vezes,” disse Sitake. “Mas aquela foi a primeira vez que realmente acreditei. Deu-me um propósito e direção.”

Foi nesse momento que Sitake soube que ele iria jogar futebol americano pela BYU, algo que fez em 1994 e entre 1997 e 2000.

Sitake chegou ao ponto de dizer que provavelmente não seria o treinador da BYU agora se essa conversa nunca tivesse acontecido.

“Para eu me ser um treinador de futebol americano, e para fazê-lo da maneira certa, eu penso que temos de usar esta plataforma para criar um mundo melhor e mudar a vida das pessoas,” explicou Sitake. “Porque eu sou prova-viva que resulta, e que pode acontecer.”

Sitake mencionou que obviamente tem de ganhar jogos como treinador, mas recusa-se que o definam ou restrinjam por seu título profissional.

“Há outras coisas que me motivam e para as quais eu vivo, tal como criar um mundo melhor e tentar ajudar as pessoas,” afirmou Sitake. “Eu sou a prova de que se alguém somente ama o próximo, a vida pode ser melhor.”

Sitake defendeu a comunicação e o serviço comunitário para melhorar e resolver questões sociais.

“Num tempo onde não existe muito contato visual e interação humana, eu penso que é importante envolvermo-nos e ajudar-nos uns aos outros,” acrescentou Sitake. “Eu sei que existem outros que estão magoados e que nós poderíamos realmente fazer a diferença, e é nisso que eu estou verdadeiramente a tentar concentrar-me enquanto treinador.”

Ele reiterou a ideia de que o seu sucesso deve-se largamente ao trabalho duro e sacrifício de outros, e que agora é a sua vez de retribuir o favor.

“Um sorriso, um gesto amável, uma conversa, um abraço, pode mudar a vida de alguém,” concluiu Sitake. “E eu sou a prova viva disso.”

 

 

Print Friendly, PDF & Email